Superlotação: A Viva Bicho pede socorro!
A  Associação Viva Bicho de Proteção aos Animais, é um grupo de pessoas que se uniu para ajudar (voluntariamente) os animais de Balneário Camboriú, que não tem centro de zoonoses, nem órgão público que socorra animais, a ONG mantém uma parceria com a Prefeitura de Balneário Camboriú que apóia através de convênio, a castração e aquisição de parte da ração para os animais mantidos no abrigo, por essa parceria não podemos receber animais de outras regiões como o município de Camboriú, os animais de Camboriú são de total responsabilidade da Prefeitura Municipal daquela cidade bem como tomar atitudes para solucionar o problema de abandono animal que reconhecemos ser de extrema urgência. Há anos a falta de responsabilidade da administração da cidade de Camboriú vem prejudicando de forma significativa nosso trabalho, na cidade de Camburiú não existe controle de natalidade, controle de zoonoses e vemos muitos animais circulando em vias públicas, sendo muitas vezes responsáveis por mordeduras e acidentes de trânsito, esses problemas são de responsabilidade administrativa municipal, e não de uma instituição de proteção animal, protetores independentes, abrigos ou outros. Muitas vezes recebemos ligações por parte dos moradores de Camboriú e pedimos que a pessoa ligue para a Secretaria do Meio Ambiente da cidade, a mesma tendo hoje duas Médicas Veterinárias contratadas, grande parte dessas ligações são retornadas tendo nós, voluntários, telefonado para o órgão e recebendo a informação de que nada podem fazer e que é para procurarem o abrigo da Viva Bicho. Abrigo este que tem convênio e recebe os valores de alimentação dos animais via prefeitura de Balneário Camboriú, cidade onde o mesmo está situado, e que de forma alguma tem responsabilidade com os casos. Porém, o que acontece, é que estes animais são descartados em nosso portão.

O problema é tão grave que dados atuais indicam que um casal de cães e seus descendentes em 5 anos, podem gerar em torno de 64 mil filhotes. Um casal de gatos e seus descendentes em 7 anos, podem gerar em torno de 420 mil animais, seria de nossa vontade atender este município bem como todos os outros do Vale do Itajaí que sofrem com a mesma causa, no entanto estamos sozinhos e voluntariamente não damos conta de assumir responsabilidades além das quais já possuímos.

Para evitar perdas de animais já existentes por falta de cuidados, brigas em canis, falta de espaço no necrotério e dificuldades nos cuidados dos que mais necessitam, reafirmamos que a partir de agora realizaremos uma triagem dos animais que chegarem ao abrigo podendo negar a entrada desses animais no abrigo já superlotado, estamos hoje com 1000 animais e apenas 07 funcionários, temos regras sanitárias a obedecer e o não atendimento dessas regras pode gerar processos vindos do Ministério Público que tanto auxilia e ajuda a ONG. Existe um número máximo de animais no local, que já foi ultrapassado em muito.

Vale lembrar que ABANDONO é considerado crime e que os animais estão protegidos pela Lei 9605/98 – art. 32 com pena de três meses a um ano de reclusão, com aumento da pena se o animal morrer.

Pessoas de várias cidades (Porto Belo, Itapema, Itajaí, Navegantes e principalmente Camboriú) tem praticado o abandono. Os animais não são descartáveis, as pessoas que se dizem donos precisam ter a consciência de que a partir do momento em que adotam um animal, a responsabilidade de cuidar, proteger, amar e zelar pela velhice dos seus animais é para a vida toda.

Deixamos uma frase para o final: PENSE, REFLITA : Quando você envelhecer, ou precisar mudar de casa ou cidade, ou ficar doente precisando de atendimento médico, sua FAMÍLIA vai lhe DESCARTAR?. Assim é com o seu animal que lhe foi FIEL a vida inteira e CONFIOU EM VOCÊ  e lhe deu o que mais precioso tinha : UM AMOR INCONDICIONAL!. Você que se diz HUMANO seria capaz de abandoná-lo na hora em que ele mais precisa de você?, – PENSE, REFLITA !.

Continuaremos no trabalho de cuidados, doação e conscientização sobre maus tratos e compra de animais em pet-shop, pois o animal de estimação não é um objeto e sim um amigo,  e amigos não se compram.
Por Viva Bicho Associação de Proteção aos Animais.
   
Esta entrada foi publicada quinta-feira, fevereiro 27th, 2014 às 7:48 dentro de Maus tratos, Nosso Trabalho, Notícias, Viva Bicho. RSS 2.0 Both comments and pings are currently closed.